Governo prepara retomada de atividades nos órgãos estaduais; Veja cuidados

Controle de acesso nas entradas, instalação de divisórias para garantir distanciamento de pelo menos 1,5m entre as pessoas, reforço da rotina de limpeza, instalação de dispensadores de álcool nos corredores e restrições à circulação de papéis. Essas são algumas das medidas previstas no protocolo destinado a gestores, elaborado pela Secretaria de Estado da Administração e Previdência (SeadPrev), com base nas recomendações da Organização Mundial da Saúde e da Diretoria de Vigilância Sanitária da Secretaria de Estado da Saúde, para a retomada dos trabalhos presenciais nos órgãos do executivo estadual.

Veja cartilhas:

Sintomas da covid-19
Como higienizar as mãos
Cuidados na hora do lanche
Cuidados no elevador
Cuidados nas escadas
Durante o trabalho
Entrada
Dispensador de álcool
Cuidado ao registrar o ponto

“O nosso objetivo é proteger os servidores e a população que precisa de atendimento. Recebemos do governador a tarefa de criar esse documento para ajudar os gestores a tomarem as medidas preventivas, a fim de preparar os órgãos para a retomada dos trabalhos. Para manter o distanciamento, será necessário, em alguns casos, mudar a posição dos móveis, colocar divisórias, pensar na organização da entrada, de forma a evitar aglomeração. Tudo isso precisa ser feito antecipadamente”, explica o secretário Merlong Solano.

Ainda não há data para a retomada dos trabalhos presenciais, mas o governo do estado adianta que será uma volta gradual, ainda com servidores do grupo de risco trabalhando em casa e outros em escalas de revezamento. Cada gestor poderá fazer adequações no protocolo, de acordo com a realidade do órgão e o tipo de serviço prestado.

“Temos a difícil missão de garantir o atendimento que a sociedade precisa e, ao mesmo tempo, impedir que os órgãos se transformem em focos da doença, uma vez que a circulação de pessoas costumava ser grande nesses locais. Por isso, o pedido que nós fazemos à população é que, na medida do possível, utilize os canais de atendimento remoto, como telefones e e-mails, e só venham caso seja realmente necessário”, destaca Merlong.

Fonte: Sead

Notícias Relacionadas